.

A quem interessar possa

quinta-feira, março 31, 2005

Primavera



To atualizando um pouco pra variar. Domingo de Páscoa na casa da Stéphanie. Levei pão de queijo e mistura de fondue. Vimos o filme Réquiem para um sonho, que me deixou meio traumatizado.

Nessa foto estamos eu, Cris, ..., Stéphanie, e Emílio (sentido horário, esqueci o nome da irmã do Emílio, primos da Cris que divide o apartamento com a Stéphanie). Todo mundo fingindo não estar posando pra foto e eu com mais uma tentativa de barba que não deu certo. Parece que teve um gene do meu pai que eu acabei não recebendo.

Agora que a primavera começou, a neve está derretendo, a grama tá começando a aparecer, os esquilos voltaram, já dá pra andar sem gorro e luva (o cachecol ainda é importante, mas não precisa mais se fantasiar de ninja). Hoje eu andei com o cabelo meio úmido sem gorro e nem congelou (UAU!). Primavera também é a época em que se extrai o Sirop D'érable ou Maple Syrup, qualquer coisa menos charope de plátano porque este nome é feio demais. Amanhã vou visitar uma cabane à sucre, ver como é feito o charope (ou é xarope? estou esquecendo o português...) e me empanturrar um pouco.

Devo também mostrar algumas fotos dos comitês de estudantes da Polytéchnique, um grande diferencial da escola, que espero que um dia possa existir no Brasil. Por hoje é só.


Posted by Hello

quarta-feira, março 16, 2005

Sábado no Patinoire

Sábado fui ao Lac aux Castors, no Mont Royal, pra patinar no gelo com Stéph, Cris e Nao. Chegamos lá às 4h e o palcao de aluguel de patins fechava às 18h, portanto só poderíamos patinar por 2 horas. O aluguel custou 7$, meio salgado, especialmente levando em conta a qualidade do material, mas em comparação com o aluguel no Canal Rideau em ottawa (15$)até que não é mal. Fotos abaixo.

A patinação é bem mais difícil do que eu esperava, apesar de ter alguma prática com rodinhas alinhadas. O problema (além da minha falta de técnica) acho que é a lâmina dos patins de Hockey que é meio curva, como se as rodas do meio fossem maiores que as das extremidades. Fica bem mais difícil manter o equilíbrio em baixa velocidade, a neve fazia a gente deslizar um pouco pros lados e perder parte do impulso. Depois de duas horas eu já tava cansado demais, nem deu pra reclamar do tempo.

Depois fomos comer sanduíche de carne defumada no Schwartz .

Hoje teve uma paralisação na Poly, apoiando a greve pelos prováveis cortes nas bolsas e empréstimos aos estudantes pelo governo Jean Charest. Felizmente é só um dia, senão minha viagem estaria ameaçada.

Por falar em viagem, uma compania aérea canadense de baixos custos, a Jets Go, faliu da noite pro dia e deixou os clientes com a passagem na mão, alguns sem esperança de reembolso e outros trancados fora do país. Com isso as ações da Air Canada tiveram uma alta de 40%. Me lembra um pouco quando o banco economico fechou, mas nem prestei tanta atenção aos detalhes na época.

Alice já foi pra França, agora meus pais estão sem filhos.


A better pic of Nao. Posted by Hello


Nao se equilibrando no gelo, meio sujo de neve. Posted by Hello


Esse é o Lac aux Castors. Posted by Hello


Nao, Cris e Stéph na entrada do Lac aux Castors. Posted by Hello

segunda-feira, março 14, 2005

Só pra falar, talvez te faça dormir

Feliz aniversário Guilherme! Gostaria de poder discutir este tipo de tema pessoalmente no bar das freiras ou em qualquer outra ocasiao, mas isto é impossível agora. Eu ia só deixar um comentário, sobre seu último post, mas acabou ficando grande demais.

A sua idéia é totalmente válida, mas "precisamos ser humildes" quer dizer que uma pessoa deve escolher seus objetivos levando em conta suas limitações, para nao investir no que nao tem provavelmente futuro. "Provavelmente": há sempre a ínfima possibilidade de alcançar algo inesperado, mesmo impossível há alguns minutos, mas as mais importantes descobertas foram feitas aos poucos. Voce fala do Einstein, acho que foi o seu professor que falou mas posso usar como exemplo aqui... As descobertas dele nao vieram do nada, ele estava se envolvendo numa área que recebia a atenção de muitos outros e foi o primeiro a enxergar as coisas de uma maneira que ninguém teve sucesso antes. Para cada Arquimedes existem 10 Gerald Bulls.

Gerald Bull foi um canadense da McGill que dedicou toda sua carreira (acho que era engenheiro ou físico) a desenvolver um canhão capaz de lançar satélites para o espaço (a um custo muito inferior ao dos foguetes). Com o sucesso da missão Appolo, os governos americano e canadense perderam o interesse. O único governo que se interessou por sua pesquisa foi...o do Iraque. A partir daí Bull passou a se dedicar a um canhão que pudesse lançar um projétil não até a Lua, mas até Israel. Não conseguiu e foi assassinado no processo porque sabia demais sobre seu próprio projeto, e certamente não estaria disposto a manter segredo depois que atingisse o sucesso. Essa história é real, já vi em um documentário e no livro "O punho de Deus", de Frederick Forsyth (o livro é parte ficção e parte real, mas estou certo de que esta parte era real).

O que eu defendo no seu professor é que quem acha que tudo é possível muitas vezes acaba se ferrando. Quem acha que nada é possível se ferra sempre, eu sei. Entao a solução é experimentar com moderação, incluindo a moderação. Quem não se arrisca a perder corre o risco de não ganhar, mas entre perder tudo e não ganhar nada...você é que sabe. De qualquer forma, ser humilde é um ótimo caminho para o aprendizado, e dá um valor especial às conquistas.

Não sei por que humanistas insistem em ficar citando Einstein, um gênio que entre tantos outros gênios (alguns bem mais importantes que ele) ficou conhecido pelo povão porque sua descoberta explodia. Ninguem fica citando máximas do Gauss, por exemplo, talvez porque seriam difíceis de entender. Acho que é meio forte dizer "Desista, você não é um gênio", mas ser um gênio não é pré-requisito para o sucesso. Invista na transpiração, a inspiração vem quando você menos espera, tudo a fazer é levá-la a sério, é claro, se valer à pena, e se não valer, transforme em uma piada. "Deus dai-nos força para mudar o que pode ser mudado, serenidade para aceitar o que nao pode e sabedoria para distinguir um do outro".

Pronto, meu blog de viagem acabou sendo codimentado com um post filosófico. Se não estava chato o suficiente antes eu acho que agora eu consigo.

Abraços ao Guilherme e todos os outros que fizeram aniversário neste mês tão fértil, em especial Aipimba e Tonho.